Dennix – Cosmic Mind

dennix

 

DENNIX leva o público a uma imersão multissensorial regada a disco music e synthpop em seu novo show Cosmic Mind Imagine um encontro entre o synthpop do italiano Giorgio Moroder com o groove disco do francês Cerrone, potencializado por uma atmosfera cósmica onde som, luz e tecnologia se encontram para criar uma viagem cósmica, de alma brasileira.

Essa é a tônica de Cosmic Mind, novo show do cantor, compositor e produtor musical paulistano DENNIX, que acontece no dia 31 de janeiro no Teatro Italia, em São Paulo.

Um espetáculo onde o futurismo vislumbrado pela space disco dos anos 80 se materializará num ambiente multissensorial em que o epicentro, a nave-mãe, será a música viajante de DENNIX.

O show celebra a trilogia de álbuns (Listening To Stars, Amplified Mind e ‘Til Love Is Here) produzidos, mixados e masterizados pelo próprio DENNIX, nos quais ele reverencia as bandas e artistas que marcaram sua adolescência: Cerrone, Eurythmics, Pet Shop Boys, Giorgio Moroder, Automat, Alphaville, New Order, Depeche Mode, Kraftwerk, Joy Division, entre tantos outros.

Nascido numa família de violinistas (seu pai, avô e bisavô tocaram o instrumento, guardado em casa a sete chaves como relíquia de família), DENNIX começou a estudar piano e teclado aos 8 anos de idade e nunca mais parou de praticar e se aperfeiçoar.

“Me formei em Música, bacharel em piano. Na sequência me especializei em engenharia de áudio”, ele conta.
“O grande diferencial deste show é que conseguimos reunir um time de profissionais de primeiríssima grandeza artística. O espectador terá uma experiência única, se conectando a uma ambientação primorosa de cores, luz e som”, diz Monica Castilho,
que assina a direção geral do show.

A direção artística ficou nas mãos da experiente cineasta e artista multimídia Beatrix Guedes, que atualmente mora em Los Angeles e veio ao Brasil especialmente para trabalhar neste projeto.
“Vejo o show do DENNIX como uma performance multimídia, um statement artístico de música, imagens e luz. Criei uma atmosfera imersiva onde o público seja envolvido e se sinta parte. Me identifico muito com a viagem criativa do DENNIX, com as buscas dele.

Elaborei conteúdos de projeção em suportes translúcidos, videomapping e uma surpresa em ilusão holográfica, além de solos arrebatadores de luz”, adianta Beatrix Guedes, que tem no currículo um Leão de Bronze em Cannes além de, em 2007, ter dirigido a versão eletrônica da ópera O Guarani, de Carlos Gomes, com o DJ Mau Mau e o maestro Fábio de Oliveira.

Além de ter um cunho audiovisual fortíssimo, o show Cosmic Mind se apoia nas composições de DENNIX e sua verve retrofuturista.
Neste novo show, que tem pegada de DJ set, as músicas dos três álbuns de DENNIX ganham novos arranjos e instrumentações, sem contar algumas participações especiais que estão sendo guardadas como surpresinhas para o público. A direção musical é do
produtor Misk, nome conhecido por sua maestria técnica em estúdios e palcos brasileiros.
“Sempre produzi tudo sozinho, especialmente as composições e arranjos das faixas. No último álbum, Listening to Stars, tive minha primeira colaboração em composição com o duo Stop Play Moon, de Geanine Marques e Paulo Bega. Houve também colaborações
de instrumentistas em outras faixas, como o violinista Thiago Guerra, o cantor Alexsander Rodriguez e o baixista Tede Belinelo”, ele lembra.

A diretora do espetáculo, Monica Castilho, enfatiza a importância deste show na carreira de DENNIX – que assinava apenas Denis anteriormente. “Trata-se do nascimento de seu novo nome artístico, que tem uma forte sonoridade e identificação com o mito de Fênix”, ela adianta.

Conhecida como a ave de penas brilhantes capaz de carregar enormes cargas, a Fênix da mitologia grega renasce das próprias cinzas. Renovar-se, nascer como alguém novo sempre foi uma das mais lindas histórias da arte. Não perca a chance de assistir a esse
renascimento de perto.